domingo, 28 de agosto de 2016

HOMENAGEM A FLORBELA

BALLET GULBENKIAN



"... Também o cenógrafo e figurinista Júlio de Sousa (1906-1966) um homem brilhante com quem partilhei muitas noites em casas de fado e que imagino que tenha conhecido a própria Florbela Espanca – me deu informações e algumas ideias preciosas. ..." (ler +)



"...  Bem escolhida a música e de belo efeito os figurinos e o cenário de Júlio de Sousa. ..."
Tomaz Ribas (Lisboa, 3-06-1962) Tivoli – Grupo Experimental de Ballet – Crítica – Capital ?

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Caracterizador

"O Costa do Castelo" - 1943

"A Menina da Rádio" - 1944

"Sonho da Amor" - 1945


"José do Telhado" - 1945

domingo, 22 de novembro de 2015

"Mas falta escrever na lua"




"Mas falta escrever na lua", de Júlio de Sousa e Álvaro Martins, na singular interpretação de Fernanda Pinto e de uma esquecida "voz d'oiro" do Fado, Emílio dos Santos, acompanhado por A. Chaínho e A. Luís Gomes (guitarras), J. Mª Nóbrega (viola) e Raúl Silva (viola-baixo)

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Nossa Senhora




De Júlio de Sousa, Lucília do Carmo interpreta "Nossa Senhora", acompanhada por Francisco Carvalhinho e Ilídio dos Santos (guitarras), Orlando Silva (viola) e Liberto Conde (viola baixo).

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Certidões de BAPTISMO



Fruto de investigação aturada de Loreno Luiz Zatelli Hagedorn, pode agora indicar-se com segurança a data de nascimento (e morte) de Júlio de Sousa e de sua irmã Maria Amélia - Mariamelia (criadora de um dos mais emblemáticos fados - o Fado Loucura, da autoria de seu irmão).

Para que conste, aqui ficam publicadas as respectivas Certidões de Baptismo, aguardando-se que seja corrigida a informação constante do site oficial, que dá o mês de Julho como sendo o de nascimento de Júlio de Sousa. 




Anotação lateral “No. 1” Faleceu em Lisboa, freguesia de Campo Grande, pelas catorze horas do dia um de Agosto de mil novecentos e sessenta e seis. Assento mil cento e trinta da sétima Conservatória de Lisboa. Boletim setecentos e  trinta e sete. Maço onze. Em vinte e dois de Agosto de 1966. O Ajudante” (Parte do texto ilegível – Nota do A.) 

“No. 129 (29) – Julio – Aos dezenove dias do mez de março do anno de mil novecentos e seis, n’esta Egreja Parochial de Santos o Velho de Lisboa, baptizei solemnemente um individuo do sexo masculino a quem dei o nome de “Julio” nascido n’esta freguesia às nove horas da manhã de sete de janeiro do corrente anno, filho legitimo, primeiro do nome, de João Chrisostomo de Sousa, commerciante natural de Lisboa, baptizado na Egreja da Misericordia, e de Amelia Pereira de Sousa, domestica, natural na freguesia de Castello Rodrigo, aliás da Figueira de Castello Rodrigo, bispado da Guarda, recebidos em SantaCatharina de Lisboa, parochianos, e moradores n’esta de Santos na rua de São João da Matta, numero trinta e oito, rez-do-chão. Neto paterno d’incognitos, e materno de Antonio Joaquim Pereira. Foram padrinhos Jose Julio Ferreira Bastos, commerciante, e sua esposa Rosa Esperança Bastos, que sei serem os próprios. E, para constar, se lavrou em duplicado este termo, que lido perante os padrinhos, comigo assignaram. Collei o sello de cem reis. Era et supra. José Julio Ferreira Bastos/Rosa Esperança Bastos/ J. B. Ribeiro Coelho (?)” (assinatura ilegível – No. do A.)





Anotação lateral: “1º Faleceu em 12 de Setembro de 1987, na freguesia de S. José – Concelho de Lisboa. Ast. de óbito no. 1976 de 1987, da 7ª Const. Boletim no. 310, Maço no. 6 Ano de 1987. Em 18 de Setembro de 1987 B... Dias de Oliveira.”

“No. 474 – Maria Amelia - Aos vinte e cinco dias do mez de outubro do anno de mil novecentos e oito, n’esta egreja parochial de Santos o Velho de Lisboa. o Presbytero Joaquim Emmiliano Vieira dos Santos e Silva, baptizou solemmnemente um individuo do sexo feminino a quem deu o nome de “Maria Amelia” que nasceu n’esta freguesia à uma hora da manhã, de um de julho ultimo, filha legitima  primeira de nome de João Chrisostomo de Sousa, empregado no commercio, natural e baptizado na egreja da Santa Casa da Misericordia desta capital, e de Maria Amelia Pereira de Sousa, domestica, natural da freguesia de São Vicente da Villa e concelho de Castello Rodrigo, diocese da Guarda, recebidos na de Santa Catharina d’esta capital, parochianos e moradores n’esta de Santos, rua de São João da Matta, numero trinta e oito, res-do-chão. Neta paterna de avós incógnitos; materna de Antonio Joaquim Pereira e de Delfina Henrique Campos. Foi padrinho José Julio Pereira Bastos, casado, commerciante e madrinha sua esposa Rosa Esperança Bastos, domestica, que por informação sei serem os próprios. E para constar se lavrou em duplicado este termo que lido perante os padrinhos comigo o assignaram. Collei o sello de cem reis. Era ut retro. José Julio Ferreira Bastos. Rosa Esperança Bastos. Joaquim Emmiliano Vieira dos Santos e Silva. O Prior J. B. Ribeiro Coelho (?) (Assinatura ilegível – N. do A.)